Brasil e União Europeia: Grupo para agilizar as patentes

Brasil e União Europeia: Grupo para agilizar as patentes está em fase de negociação, gerando parceria que poderá abranger países que nem mesmo integram a UE, como a Turquia.

O memorando de entendimentos assinado por representantes do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e do Escritório Europeu de Patentes em Weimar, na Alemanha, é similar àquele assinado com o Japão e ambos caminham para um acordo similar àquele que já vigora com os Estados Unidos.

A notícia é bem-vinda, como é todo esforço para abreviar o tempo de concessão de patentes no Brasil, pois, ao industrial brasileiro interessa um clima de estabilidade jurídica, situação que não se vislumbra sem um sistema de patentes forte e célere.

Existem situações em que o INPIInstituto Nacional da Propriedade Industrial realiza o Exame Prioritário de Pedidos de Patente, abreviando o tempo concessão, ante a provocação do depositante ou de terceiros. Para saber mais, leia aqui.

A concessão de patentes em um prazo razoável é, antes de mais nada, um ato de justiça, pois, como já disse Jean de la Bruyere, “Uma coisa essencial à justiça que se deve aos outros é fazê-la, prontamente e sem adiamentos; demorá-la é injustiça”.

Posted in:
About the Author

Rubens Cleison Baptista

Rubens Cleison Baptista é advogado formado na FMU – Faculdades Metropolitanas Unidas, Agente da Propriedade Industrial, Jornalista, atua como Sócio Diretor na São Paulo Marcas e Patentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *